terça-feira, fevereiro 17, 2015

Resenha - leitura

Desde que li, na adolescência o Diário de Anne Frank, passei a demonstrar muito interesse pela Segunda Guerra Mundial, sobre os campos de concentração, nazismo e o Holocausto.
Procuro ler sempre sobre a temática e este livro é mais um que narra as atrocidades dentro dos campos e principalmente os mais famoso e temido, Auschwitz. É o relato emocionante de Eva Schloss, uma sobrevivente, também levada aos campos em plena adolescência e com mais sorte que aquela que deu origem a muitos livros-denúncias e documentários da falta de humanidade da Gestapo e o ódio de Hitler.
"...Deixou marcas inesquecíveis na minha alma, eu tinha de seguir adiante, viver uma vida nova..."
Depois de Auschwitz não é tão diferente de outros livros que narram a fuga, o esconderijo, o medo e um dia aqui outro lá pra tentar sobreviver até serem achados ou denunciados e levados pra morte, ou talvez, marcados para sair de lá e servir de testemunhas da crueldade de seres que tratavam humanos como lixo e indignos de viver.  A libertação, as perdas e o recomeço.
A sinopse:

Em seu aniversário de quinze anos, Eva é enviada para Auschwitz. Sua sobrevivência depende da sorte, da sua própria determinação e do amor de sua mãe, Fritzi. Quando Auschwitz é extinto, mãe e filha iniciam a longa jornada de volta para casa. Elas procuram desesperadamente pelo pai e pelo irmão de Eva, de quem haviam se separado. A notícia veio alguns meses depois: tragicamente os dois foram mortos. Este é um depoimento honesto e doloroso de uma pessoa que sobreviveu ao Holocausto. As lembranças e descrições de Eva são sensíveis e vívidas, e seu relato traz o horror para tão perto quanto  poderia estar. Mas também traz a luta de Eva para viver carregando o peso de seu terrível passado, ao mesmo tempo em que inspira e motiva pessoas com sua mensagem de perseverança e de respeito ao próximo - e ainda dá continuidade ao trabalho de seu padrasto Otto, pai de Anne Frank, garantindo que o legado de Anne nunca seja esquecido.

Pra quem gosta do tema é uma excelente dica, só não gostei da parte da capa que fala que ela é irmã da Anne Frank, o que não é verdade. Achei meio sensacionalista, mas foi enteada de Otto Frank, pai de Anne, o qual também sobreviveu aos campos.

9 comentários:

Pedrita disse...

muito triste. hj não temos uma guerra mundial, mas temos muitas violências em vários países. muito triste. beijos, pedrita

Colecionadora de moda disse...

Os poucos livros que eu li que se passam em tempos de guerra me deixam muito triste.
Chorei muito em O menino do pijama listrado e A menina que roubava livros
Kisses

Ruby disse...

Bem lembrado, Gianni, são todos narrando essa época triste.

Lulu on the sky disse...

Olá, Ruby !
É um episódio muito triste que aconteceu durante a Guerra Mundial. eu fico super abalada quando vejo qualquer reportagem sobre o Holocausto.
Convido vc para participar da nossa pesquisa de público no blog e ajudar melhorá-lo cada vez mais.
Big Beijos
Lulu on the Sky

Sónia Miranda disse...

Parece incrivel e marcante

Thais Terra disse...

Nunca li esse livro, mas parece ser bem interessante. Acho bem legais esses livros que tem a ver com a história e tal.

http://colorful-mushrooms.blogspot.com.br/

Beijoos ;*

Nequéren Reis disse...

Resenha maravilhosa amei a dica do livro, Curta e siga o meu canal
https://www.youtube.com/watch?v=1LOCPg0HbTA

Júlia Evelyn disse...

Sou interessada por tudo que envolve a segunda guerra. Sempre foi meu assunto preferido em historia! Esse foi, por sinal, meu ultimo livro interminado.

Rubia Olivo disse...

eu também adoro histórias relacionadas a Segunda Guerra Mundial, então fiquei bem interessada pelo livro só de ter lido o título dele.