quinta-feira, dezembro 11, 2014

Exposição: Erwin Blumenfeld

Eu não perderia nunca se morasse em SP. 
A exposição Blumenfeld Studio: New York 1941 – 1960, um dos fotógrafos mais influentes do século XX. Erwin Blumenfeld (1897 – 1969) ganhou a atenção mundial no pós II Guerra nos EUA.
A exposição já foi apresentada na França, Alemanha, Inglaterra, Itália e China e agora a produtora Mega Cultural traz ao Museu de Arte Brasileira (MAB) da FAAP, com patrocínio da Dafiti.
Blumenfeld já era contratado por revistas francesas quando residia em Amsterdã, mas sua carreira como fotógrafo de moda teve início com a mudança para Paris, em 1936. Seu trabalho em publicações francesas do final de 1930 chamou a atenção do fotógrafo britânico Cecil Beaton, que facultou seu caminho para trabalhar na revista Vogue francesa.
Altamente inovador e muitas vezes contrariando o tradicionalismo, Blumenfeld desenvolveu seu próprio estilo, usando fotomontagem, solarização, slides coloridos e técnicas híbridas. Desde o início de sua carreira, foi influenciado pela ideia da fotografia como arte, desejando ser respeitado como artista de vanguarda, em vez de fotógrafo de moda.

Em parceria com a Vogue publicou mais  de 50 capas, incluindo retratos de grandes modelos e personalidades, como Babe Paley, Dovima, Jean Patchett e Carmen Dell’Orefice.  Também trabalhou regularmente com outras revistas americanas de moda, como Cosmopolitan (para a qual fotografou Grace Kelly, em 1955) e Life Magazine, além de produzir grandes campanhas publicitárias de moda e beleza para clientes como Dior, Elizabeth Arden, Max Factor, L'Oréal e Helena Rubinstein.
Imagens do grande artista-fotógrafo.
Grace Kelly, Jean Patchett e Audrey Hepburn.
Com certeza, um dos trabalhos mais famosos é a famosa capa com Jean Patchett, num tempo que nem se sonhava em photoshop ele já criava as imagens manipuladas, na imagem ele usou apenas a boca um dos olhos e sobrancelha bem arqueada da modelo.





sábado, novembro 15, 2014

Arte

Descobri o instagram Iraville por causa dessa imagem:
A linda Ingrid Bergman em "doodle". 
Achei super fofo e fui explorar o trabalho dessa ilustradora alemã chamada Ira Sluyterman van Langeweyde. Ela usa desde crayon a nanquim e outros materiais pra desenhar. Ela e as ilustrações que viraram adesivos já.
Ela também tem um Tumblr e as artes que a menina faz são realmente lindas. Olha aí:
Acho que ela às vezes desenha inspirada na moda
Em séries de que é fã, tipo os agentes de Arquivo X. Lindo, não?

sábado, novembro 01, 2014

Acabou!

Tudo que desejo é que novembro restitua o que outubro me roubou. 
Quero esquecer para sempre o quão horrível esse mês foi!  Acidente, traumas, lágrimas, perda de peso, paz e alegria de viver mesmo tendo sobrevivido. Claro, que sou muito grata a Deus por ter sobrevivido e pela força que tenho recebido vinda dele pra superar tudo o que passou, mas outubro assim, nunca mais, porque foi o mês mais difícil do ano pra mim!! Que novembro seja bom pra todos nós!


segunda-feira, outubro 27, 2014

Retrô

Que eu amo o retrô, o vintage não é segredo nenhum. A década da virada na moda foi a dos anos de 1960. Quando se fala em anos 60s e moda, já se pensa em vestidos de bolinhas e saias armadas, mas, claro, uma década tem dez anos e nesse tempo muda muita coisas.
A segunda metade dessa década trouxe mudanças significativas, absolutamente tudo mudou e até seu término o que vemos é mais ou menos isso:
Street style: Cores fortes. Sapatos lindos, altura de saia variada. Claro, foi em 1966 que a minissaia chegou.
Calça "ankle pants" e a sandália gladiadora com vestido curtíssimo. Acessório indispensável? Óculos!

Sapatinhos? Fofíssimos! 
Editoriais: Cores e estampas que se perpetuam.
Botas e comprimentos que sobem e descem. Era tudo lindo, não? Eu acho.
Tirei a ideia dum editorial de uma revista contemporânea, um editorial que abordava essa época
Uma pequena amostra, pra não inundar mais com imagens. 




domingo, outubro 19, 2014

Filme

The love punch - Um plano brilhante, em português. Filme britânico com Emma Thompson e Pierce Brosnan. A Crítica caiu em cima, falando mal, mas quem disse que a crítica tem sempre razão? Pelo menos pra mim. Assisti e amei. Trata-se de uma comédia leve e bem divertida. Um casal divorciado que vive uma relação amigável, Richard, Pierce Brosnan, prestes a se aposentar vê todos os investimentos pra viver uma vida equilibrada financeiramente, de repente serem roubados por um rico e inescrupuloso industrial.
O casal se junta pra recuperar seus bens que foram transformados em um diamante valiosíssimo. Planos bolado pela ex- mulher, Kate, Emma Thompson. Os dois vão à França, assumem identidades de convidados que vêm de longe pra festa de casamento do vilão e lá ocorrem as situações mais inusitadas na busca pela pedra preciosa. Eles ainda contam com a ajuda de um casal de amigos. O casal classifica o plano como louco, insensato, estúpido, mas brilhante. Uma comédia romântica na França é sempre mais bonita, não? Os dois depois disso tudo tomam uma nova decisão. Bom, é um filme gostoso de se assistir, sem ligar pro que a crítica pensa. Final lindo, claro. Assiste, garanto que você vai gostar. Dica boa! Os lindos, no lançamento do filme.

quarta-feira, outubro 15, 2014

Presente!

Neste dia dos professores, eu quero falar dos meus tempos de estudante.  Um pouco de nostalgia, de um tempo que a gente não gosta, mas depois sabe que foram os melhores.

- Minha mãe me alfabetizou em casa. Já fui pra escolinha sabendo ler e escrever.

- Minha primeira vez na escola não foi uma boa experiência, apesar de ter acordado muito cedo e estar super ansiosa. Tão importante que lembro exatamente tudo! Achei a professora muito fria. Eu com meus sete aninhos, lembro demais.

- Sentava no fundão, não era pra bagunçar não, era era pra ficar imersa nas leituras (gibis) dentro do livro didático, mas fui uma boa menina, não dava trabalho e fazia minhas tarefas.

- Sempre na aula de leitura dos textos, quando a professora ficava olhando quem ela ia mandar ler em voz alta, morria de medo de ser indicada, porque era muito tímida.

- Quase não saía da sala na hora do recreio. Se era em escola nova, então, levava mais de mês pra sair, pedia pras colegas comprarem meu lanche.

- Uma negação nas exatas, chorava porque não aprendia aqueles problemas escabrosos de matemática com suas regras, depois o pesadelo aumentou com Física e Química. Todos os trabalhos e atividades avaliativas fazia com esmero para chegar na nota mínima e ficar aliviada.

- Escrevia nomes de personagens fictícios famosos na carteira. No dia seguinte, o aluno do turno oposto escrevia palavrões.

- Nunca gostei de exatas (de novo), nem de Ciências, depois Biologia, mas amava História e línguas, Inglês e Francês, estudei numa escola que oferecia Francês e aproveitei pra testar. Me dei bem.

- Desenhava bonequinhas e enfeitava os cabelos, fazia roupinhas. Não era nenhuma desenhista, mas ficavam bonitinhas. As colegas perto viam e começavam também, depois trocávamos e escolhíamos as mais bem feitinhas, tudo lá atrás, caladinhas.

- Adorava as aulas de Educação física, porque depois a gente ficava um tempão jogando bola. Acho que gostava muito dessas aulas por causa disso, mas os exercícios eram legais,

- Já na facul, nunca participava dos congressos em outras cidades, sempre fui mesmo antissocial.

- Hoje sou professora, sei o quanto está difícil o ofício, mas temos que seguir adiante. Que não seja somente financeiro, mas que haja respeito e reconhecimento.

segunda-feira, outubro 13, 2014

Notícias

Sofri um acidente, estou viva por milagre de Deus. Mas tudo já ficou bem, é assim que prefiro falar. Eu vou postar ainda no blog, não sobre isso, claro, mas coisas boas.

terça-feira, setembro 30, 2014

Já vai...

Setembro, hoje fecha mais um mês do ano que passa assustadoramente rápido. Quando iniciou, mal pude acreditar que havíamos passado de mais da metade do ano, e agora outubro recebe o bastão. Vamos torcer pra que seja bom, é isso que a gente sempre espera.

Então, foi mais ou menos assim:
1. Trabalhando muito, como sempre, mesmo querendo reservar um tempo pra mim, é difícil, mas achei uma brecha pra ler um livro, comprar outro e deixar sobre uma cadeira bem visível pra lembrar que ele está lá pra ser lido, assim que tiver tempo.

2. Fui numa farmácia que adoro e comprei produtos, especialmente pra tentar conter as marcas do tempo sobre a pele. Tinha uma amiga que vivia me falando e eu achava que ela enchia o saco, isso há uns cinco anos, hoje vejo que ela tinha/tem razão, quanto antes melhor. Acordei pra esse lado.

3. Falaram tanto da chegada da primavera, que é linda é, mas ainda fico com o inverno. O calor não ajuda a gostar do verão.

4. Tive uma grande decepção comigo mesma: Queria desesperadamente uma câmera semi-profissional, consegui, uma Canon, linda e tudo, eu mal peguei nela, mal pego nela, não aprendi a usá-la e decidi vendê-la, ainda está na caixa. Eu não consigo entender por que isso acontece. Mas me decepcionei muito.

5. Gente, descobri um aplicativo ma-ra-vi-lho-so!!!! É Xiialive, é grátis. Baixem, vocês vão amar. Na verdade, já tem um tempinho, mas agora uso com muita frequência. Nele a gente ouve música de rádios do mundo inteiro e sem interrupção, o mais legal, você escolhe a década, o estilo, são várias opções pra curtir.

6. Ensandeci de vez, com decoração pra espaços e cantinhos, essas coisas. Além de comprar revistas do assunto ainda olho por aqui muita dicas.

7. Mais uma vez decidi mudar a alimentação, olha não tenho problema de peso não, mas há outros probleminhas, fiquei um fim de semana puramente na salada (super caprichada) e grelhados. Eu adoro preparar minha própria comida e só posso fazer isso nos fins de semana.

8. Fui fazer uma operação, tipo caseira, pintar o cabelo, ficou ó, uma merda! Errei nas quantidades.

9. Selecionei um monte de imagens de boa resolução pra  mandar fazer pôsteres e pôr molduras coloridas, fica lindo. Claro, todos retrôs e das antigas estrelas do cinema americano.

Nada de especial, só o trivial. Que outubro venha com algumas boas surpresas.

domingo, setembro 21, 2014

Calça

A moda é cíclica. Ainda bem, porque tem moda que deveria ficar pra sempre, ou quando se vai, logo está de volta, porque é linda. uma delas é a calça capri.
Recebeu esse nome por causa da Ilha de Capri, criada pela design Sonja de Lennart. Mas a popularidade desse tipo de calça explodiu no final na década de 50, quando  se tornou hit, no filme Funny Face, e claro início dos anos 60, com estrelas como Mary Tyler Moore, Audrey Hepburn e Grace Kelly ( esta no final dos 50 quando ainda era atriz e não princesa). Na verdade, é meio cigarrete também, porque o modelo é justamente não passar do tornozelo.
Hoje, com e evolução, as mudanças que recebem as palavras, e principalmente no mundo da moda, ela também é conhecida como "ankle pant", "cropped pant", mas capri ainda é o nome original.
Elas ficam perfeitas com sapatilhas, keds, mas basta saber combinar com qualquer tipo de calçado que fica super linda. Super versátil e fica bem pra qualquer ocasião informal.








Todos os looks estão perfeitos. Atualíssimas. Logo abaixo atrizes e royals em décadas diferentes. 



quinta-feira, setembro 11, 2014

Leitura

Sou daquelas leitoras que lê um livro quando "acha", às vezes rodando nas livrarias meus olhos batem num título, simplesmente pela capa, na sinopse mesmo, às vezes a escolha se dá porque é o livro que está diante dos olhos de todos no momento, enfim é assim que seleciono o que leio. Lógico, eu observo as dicas, leio as resenhas, indicações, mas me guio por mim. Terminei semana passa O lado bom da vida. Olha, não vou dizer que é um livro óóótimooooo, mas é bem interessante, porque fala de superação, de um homem que luta contra aquilo que o levou a outro mundo, um lugar ruim, como a personagem prefere classificar.
Pat Peoples é um exemplo de quem quer reconstruir a vida dividida por um tempo em que ele mesmo se perdeu nele. O comportamento bipolar acaba por deixá-lo mais tempo do que ele imagina num sanatório e quando cumpre sua "pena" sai e não faz ideia de como anda a vida das pessoas mais ligadas a ele, nem mesmo a sua. A memória parou no tempo e ele pensa que ainda está casado com a mulher que ama e diz ser a da sua vida. Retomando sua vida social, ele conhece Tiffany, sua vizinha, que também carrega um drama e tenta reconstruir sua vida. Ela bola um plano genial pra fazê-lo voltar a realidade. Os dois, juntos vão trilhar caminhos até que finalmente uma bifurcação acaba unindo-os num só caminho.
É um recomeço, uma busca pela incansável felicidade, uma lição de fé, respeito, enfim, muitos bons valores. De alguém passa a valorizar as pequenas coisas depois de uma amarga experiência.
Eu daria três estrelas e meia, explico por quê. Um assunto me deixou maluca! Futebol americano. Na verdade, achei odiável e espero tão cedo ou nunca mais ler um livro que explore tanto esse esporte, pelo menos dessa forma. Ai que abuso!!! Por que Matthew Quick fez isso? Acho que ele é fanático por futebol americano, mas eu já não aguentava mais ler E-A-G-L-E-S, ahhhhhhh!!! Sem o exagero sobre isso, eu classificaria como melhor o livro. Amei as partes do Kenny G. (songbird) e Total eclipse of the heart ♫ ♪
Ah, tem mais!! Se eu ver o filme antes, eu não consigo ler o livro. Já viram isso? Só eu sou assim? Sempre acho que os filmes estragam os livros. Mas, não leu? Lê, você vai gostar. Garanto! Quem sabe até mais do que eu, se futebol americano não incomodar. Já leu? Dê sua opinião também a respeito!

terça-feira, setembro 09, 2014

Ideias

Eu, definitivamente dei um tempo na noia da maquiagem, parei com tantos gastos e me contive com os kits bons e lindos que tenho, e olha, dá pra muita coisa e muito tempo! Mas, anteriormente já tinha paixão por coisas de casa e eis que a loucura da maquiagem foi transferida com muita mais força pra decoração, como se não bastasse o que já adquiria, surgiram uns projetos simples e pequenos pra deixar mais bonitinho alguns cantinhos da casa. Andei comprando umas coisinhas e reservei uma pasta no computador pra salvar imagens com ideias lindas, confortáveis e cabendo no orçamento, o que é melhor ainda.
Tenho feito umas modificações e me surpreendi e sabe por quê? Porque peguei uma furadeira, comprei parafusos e buchas, pus até aqueles óculos que fazem parte do kit da bicha. Furei, troquei, coloquei, depois comprei tinta, peguei o rolo e não chamei pintor nenhum, eu mesma pintei, pus os nichos e me orgulhei de mim mesma!
Fui numa daquelas lojas de objetos de decorações e fiquei assim, como Ava Gardner ficava.
Comprei portas-retratos, molduras e mandei fazer uns pôsteres pra deixar mais alegre e ilustrado uns espacinhos. Depois mostro. Novas capas de almofadas e mantas pra sofá. Mandei fazer meu suporte pra minhas lindas canecas. Nichos?! Amo! Dão tanta beleza e você pode decorar com coisinhas fofas! Com essas novas ideias desafoguei os espaços de guardar os pinceis e as maquiagens.
Tô me sentido ela: Every little thing she does is magic. A própria.

domingo, agosto 24, 2014

Agendas


Que os blogs são as agendas de papel antes da era da internet não há como negar.
Eu fui desse tempo! Esses dias, olhando um armário cheio de livros e papeis eu vi minhas velhas agendas, amareladas e bem "gordas", a dificuldades pra fechar foi reduzida em razão dos pesos que se amontoam sobre elas por anos.
Meu Deus, que ansiedade! Todo final de ano quando ia às papelarias e ficava horas e horas escolhendo a agenda do novo ano, a capa, o modelo, enfim, era coisa obrigatória e prazerosa esse momento. E era uma indecisão tremenda diante de tantas lindas que haviam!!!
Hoje elas apenas estão na memória ou guardadas como as minhas, coisa de adolescentes de anos 80, 90, porque  ninguém hoje mais conserva essa mania.
Elas eram lindas, cheias de recortes e frases, eu comprava muitas revistas pra recortar e montar "os posts" mais fofos, as canetas coloridas pra deixar tudo muito cheio de vida. Clipes coloridos pra segurar fotos, cartões. Nossa! Não há como não sentir saudades. Cada tempo com suas coisas. Mas era bom demais!

terça-feira, agosto 12, 2014

Em família

Acho que Audrey Hepburn e Richard Avedon dispensam comentários. Os dois trabalharam juntos nas fotografias mais lindas que ele eternizou da Bonequinha de luxo e a maioria Harpers Bazaar, que agora faz uma revisitação à legendária amizade com uma série de fotos  nas quais a musa e o fotógrafo são os netos de ambos. Herança?

Fotos do filme Funny Face, Emma imitando as poses de uma famosa cena da obra. Na época que o filme foi feito, Avedon era o maior fotógrafo de moda e claro, o filme foi baseado no próprio e o início da carreira de sucesso.

Emma Ferrer posa para Michael Avedon com roupas e acessórios que lembram a elegância e beleza da avó. A legendária atriz foi uma das musas de Avedon. 
As comparações são inevitáveis. Na edição da revista Emma fala da experiência de ter uma avó tão famosa, e da estreia pro portfólio exclusivo pra Bazaar. 

segunda-feira, agosto 11, 2014

Acertou!

A cantora italiana Laura Pausini é a nova técnica do programa La voz Mexico, versão mexicana do famoso The Voice. Estreando semana passada. Vi as fotos e achei perfeito o look da Laura. 
Sempre achei a Laura muito simples, pelo menos nas passagens pelos programas de TV brasileiros. Pode ser poque seja jurada e presença semanal. As cores estão fantásticas, esse tom mais escuro de rosa com o laranja caem perfeitamente juntos. As sandálias nos mesmos tons, fez para perfeito com o vestido.

Os acessórios não ficaram para trás, igualmente lindos, o colar e as pulseiras. Não sei se é um cinto ou uma faixa, essa dorada na cintura, mas fechou lindíssimo o look. Que acham?

sexta-feira, agosto 08, 2014

Os 05 pioneiros no mundo da maquiagem

Há marcas que são novas, mas há marcas que estão no mercado há muitas décadas. As precursoras do mundo da beleza e que levam o próprio nome:
01. Elizabeth Arden
Canadense e primeira mulher no mundo exitoso da beleza. Estudou uma profissão que não tinha nada a ver com maquiagem, mas no início do século 20 descobriu a a paixão pelos cosméticos e fundou sua própria marca abrindo um salão em NY, mas precisamente em 1910. Foi a primeira a criar produtos de maquiagem para os olhos. Deixou um império ao morrer.


02. Estee Lauder
Década de 1920. Começou fabricando cremes faciais num forno de um tio e começou a vender os próprios produtos em portas de supermercado de NY e Miami. Em 1946 criou a marca que revolucionou o mundo dos cosméticos a Estée Lauder. ASaks Fifth Av. acreditou, encomendou, vendeu e ela ganhou a partir daí muito dinheiro.


03. Helena Rubinstein
Viajou pra Austrália levando potes de creme dado pela mãe, receita da família. A pele lisa e perfeita despertou curiosidade e logo Helena começaria o próprio negócio. Batizou o creme de Valaze e não demorou, abriu um centro de beleza em Melbourne, o Beauty Valaze, logo leva a Paris essa ideia, e se torna uma mulher muito rica. Com a Segunda Guerra Mundial ela vai morar nos EUA. No final dos anos de 1950 seu império contava com catorze fábricas e mais de 40 mil funcionários.

04. Bourjois
Joseph-Albert Ponsin criou na própria casa maquiagens e perfumes, uma vez que era ator
o fez para a classe. Em 1868 (pasmem!) passou às mãos de Alexandre-Napoleón Bourjois que desenvolveu
a marca. Cada anúncio lindo! Ainda vou fazer um post só com os anúncios.


05. Max Factor
Conhecido como a pai da maquiagem durante a era de ouro de Hollywood, as principais divas do cinema
da época adoravam e ele ganhou glamour e nome colocando muitas ferramentas que hoje são usadas
na maquiagem profissional.




Fonte: Quien

domingo, agosto 03, 2014

Coleção

As ideias, o mundo, as coisas, enfim, vão mudando, um tempo são assim, depois passam pro esquecimento ou desuso, principalmente depois da chegada da internet e as redes sociais. Antes as meninas colecionavam coisas como papel de carta, cartões, selos, adesivos, álbuns de figurinhas, essas coisas que faziam a festa na hora de mostrar e trocar as repetidas. Eu colecionava papel de carta, cartões portais, adesivos e mini-cartazes de filmes que vinham numa revista linda de cinema, além de uma revista perfeita, a  alemã Bravo, que tinha cada pôster lindo! Hoje a coisa é outra e eu passei a colecionar DVDs de filmes que amo demais e que são raros na TV, mesmo que passe, nada se comprara com a vontade de assistir no próprio DVD e rever as cenas mais amadas. E as canecas, ah, as canecas! Taí algo que me tem enlouquecida, quando vejo, sempre que entro nas lojas de decorações e coisas pra casa é nessa sessão que vou logo. Já tenho tantas que já prometi há anos ir num profissional que trabalha com móveis pra fazer um suporte pra elas, mas ainda não deu. Assim que tiver pronto, eu fotografo e posto aqui. Caneca é isso que adoro colecionar hoje. E você, coleciona alguma coisa?