segunda-feira, maio 23, 2011

Trabalho!

Luís Fernando Veríssimo iniciava uma de suas crônicas com o seguinte: Senhor, dê-me serenidade para aceitar as coisas que não posso mudar...
Ajude-me, sempre, a dar 100% no meu trabalho...
- 12% na segunda-feira,
- 23% na terça-feira,
- 40% na quarta-feira,
- 20% na quinta-feira,
- 5% na sexta-feira.
Engana-se quem acha que para por aí a minha jornada de trabalho semanal.
Enquanto todos pedem a Deus que chegue o fim de semana e dizem em coro "graças a Deus é sexta-feira", eu não tenho essa paz, esse privilégio de trabalhar só no local de trabalho, de chegar o fim de semana e ficar livre, tranquila, porque comigo vem uma carga de trabalho pra me deixar mais estressada ainda. Não há como fugir, ser professor é isso!
Se debruçar por cima de livros, corrigir um sem números de folhas de papel, planejar aulas, preparar atividades, provas, preparar slides. Corrigir, ah o pior!
Às vezes bate uma preguiça, outras, um desespero somado à revolta, porque nem sempre o objetivo é atingido, (na revolta, fico só com essa  parte , mas tem mais) repetir, insistir. Não há como descansar  no fim de semana e deixar lá tudo isso! A cada ano, me sinto mais cansada antes do tempo, já nem completamos o semestre e já me sinto arrastar devido essa carga.
E pro blogue? Quase nada! É quando dá e me sobra uma coragenzinha. Amanhã já é segunda-feira, né....?

19 comentários:

Ruby disse...

Postei tarde da noite de domingo e ja saiu como segunda aí na data!

C. disse...

Lendo seu texto lembrei do vídeo da professora, acho que em Natal, protestando sobre o salário de professor, nao sei se você viu, em todo caso aqui está:

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=7iJ0NQziMrc

Mas acho que trabalhar ainda é o melhor que há; a mente por si só já trabalha com "coisas" nossas, e sem ele, ficaria atrofiada e fecharia-se pro mundo e pro conhecimento. Então, bendito seja o trabalho! Com intervalo pra férias, claro :-)

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Ruby
Sei muito bem como é isso, sou professor e também tenho essas angústias. Ninguém merece.
Bjux

Long Haired Lady disse...

existem porfissões assim, que levam o trabalho para casa. eu sempre penso que dentista não pode fazer isso...

Lulu on the Sky® disse...

Sei bem como é isso pq minha mãe foi professora, tenho amigas e vizinha que tb é. Infelizmente não pagam o valor justo para uma profissão tão bela.
Big Beijos

Denise disse...

Pois é... E tem gente que, por ignorância ou má fé mesmo tem a cara de pau de dizer que professores tem vida boa porque segundo a cabecinha linda deles 'trabalham pouco'...

Luma Rosa disse...

A minha mãe também era professora, só que naquela época existiam recompensas por tanto esforço, muitas vezes deixar a família em segundo plano e se privar do descanso. E o salário nunca foi lá essas coisas - ser professor é quase um sacerdócio! Boa semana! Beijus,

Borboleta no Casulo disse...

Eita vida corrida essa nossa heim...mas temos que ter um tempo nosso pq se n vms pirar!!
Bjs

Dayane Pereira disse...

Eu admiro muito essa profissão, se fosse escolher, daria aula de história! Mas eu não teria coragem de me jogar em uma profissão que exige tanto da pessoa, e as vezes com retorno (em todos os sentidos) injusto.
Mas a vida recompensa, uma hora ou outra..

Mirys + Guigo + Nina disse...

Oi Ruby!

Tenho vários amigos professores (também já fui uma) e sei bem como é essa loucura... Mas, vale a pena, viu?! Eu boto a maior fé em vocês!!!!

Me apresentando: sou a Mirys, do Diário dos 3 Mosqueteiros, e vi seu comentário, lá no blog da Nana (amigos virtuais), dizendo que gostou do nosso "dia da família".

Então, vim aqui te convidar!!!
PARTICIPA COM A GENTE, VAI???!!

Os selinhos (tem pra escolher), as explicações, as ideias, estão todos aqui: http://diariodos3mosqueteiros.blogspot.com/2011/05/gaste-tempo-com-quem-voce-ama-campanha.html

Esperamos você na blogagem coletiva do dia 30 de maio, tá?

Bjos e bençãos.
Mirys
www.diariodos3mosqueteiros.blogspot.com

Walter Melo Filho disse...

Nossa vc é professora! Boa sorte mesmo! Acho uma profissão linda, mas é desgastante mesmo.

ONG ALERTA disse...

Pena que esta seja a realidade, beijo Lisette.

Lucimere disse...

Eu acho que certas profissões são como que cachaça, um vício, faz mal, mas não se consegue viver sem ou se fazer outra coisa, pois é DOM.
Eu admiro muito. bjosss.

Vannn. disse...

Quando eu comecei a ler pensei: "eu também não, quem mandou eu escolher ser professora!"
E não é que nós duas estamos na mesma situação hahaha
Tem que gostar muito né?

Fernand's disse...

sorte e força pra ti...
só por muita paixão à educação mesmo.
admiro!


bjsmeus

Miguel disse...

Minha querida Ruby, tive professores na família, tenho vários amigos e amigas professores e é como vc bem salientou, raramente pode-se desfrutar de um final de semana, um feriado, etc. Mas acredito ser um trabalho gratificante, praticamente todos eles assim o dizem. Fôrça querida, trabalhemos para o bem deste nosso Brasil varonil...até outras vezes.

evi disse...

Oi Ruby.

Estou assim como você. Não preciso levar serviço para casa mas lá no trabalho está tudo tão difícil.
Chego em casa tão cansada que não quero saber de mais nada.

Preciso dar uma passadinha lá no blog e não deixar aquilo às moscas. Muito feio...

Dias melhores para nós duas.

Bjs.
Elvira

Nise disse...

É o mal dessa nova sociedade.Antes a rotina era Casa-trabalho-casa, hoje a rotina é, trabalho-trabalho-trabalho. O ambiente de trabalho agora é em todos os espaços.

Gaúcho disse...

Vamos negociar um índice para o seu blog! Que tal 9,5%? É bem mais que o Tarso Genro ofereceu pro Cpers de aumento!

Beijão, moça!

Gaúcho