sábado, agosto 08, 2009

Das coisas que não fiz

Queria ser dessas pessoas que dizem "eu nunca me arrependo do que faço", mas nem nessa frase clichê eu acredito! Me entristece muito olhar prá trás, contabilizar e perceber que muitas coisas poderiam ter sido diferentes, poderia ter feito coisas que trariam bons resultados hoje, se as atitudes fossem outras, o modo de pensar, mas a inexperiência e incapacidade de visualisar o futuro acabaram ofuscando, resultando em perdas, tristezas e algumas frustrações, embora o ditado diga que nunca é tarde pra...isso ou aquilo, no fundo a gente sabe bem que não tão fácil assim, além de se descobrir que se causou decepção em outras pessoas. Escolhas que poderiam ter sido feitas e não foram, mesmo acreditando que quando alguém tem de ser ou de fazer, no momento certo, na hora exata, tá marcado e vai acontecer. Vendo domingo no Fantástico a entrevista da Susan Boyle, a repórter falava onde esteve escondido esse fenômeno? E ela confessou modestamente: Talento, eu? Acho que foi apenas uma questão de oportunidade”, concordo, mas ainda acho que ia acontecer na vida dela, só não era chegada a hora. Seria bom chegar a um certo estágio da vida e não tomar como exemplo os versos de epitáfio dos Titãs, "devia ter...mais/devia ter...menos. É chato o tempo passar e só depois entender algumas coisas.

"Queria ter aceitado
A vida como ela é
A cada um cabe alegrias
E a tristeza que vier..."

Nenhum comentário: