sábado, janeiro 05, 2008

ROSAS
Será que elas sentem falta das mãos que as plantaram? De quem conversava com elas? De quem adubava, regava, beijava e mimava todas elas, do botão ao desabrochar, até se abrirem completamente belas e perfumadas? Elas estão secas, sem vida e se recusam a florescer. Não soube cuidar delas, agora são somente galhos secos. Sinto que elas choraram durante todo o ano que passou esperando por ela. Mas ela se foi e as rosas agora se vão também.
Tudo tem seu tempo determinado: tempo de plantar, tempo de colher, tempo de nascer, tempo de morrer.

Nenhum comentário: