segunda-feira, dezembro 26, 2005

CONCLUSÃO




Acabaram-se as musiquinhas de natal (bem chatas ao meu ver), a cidade tá mais tranqüila, nada de trânsito caótico. A temporada acabou. Agora, as lojas estão cheias, mas de gente trocando presentes que não querem ou não dá pra usar (a parte chata pras lojas e vendedores). É uma festa bonita, mas sem demagogia, materialmente pouco me importa, não dou e supostamente não recebo presente algum. O que pra mim é belo nisso tudo é que as pessoas se unem e festejam se abraçando e sorrindo e claro comendo (parte gostosa).
O mês está terminado e lógico o ano, tá passando cada vez mais rápido e com certeza não dá mais nem tempo a gente se avaliar, o que eu era, o que sou, será que cumpro algumas metas? Desejos, em muitas áreas da vida. Melhorei? Piorei? Continuo igual? Quero lembrar das conquistas, as não-conquistas eu devo continuar tentando transformá-las em conquistas também, como brasileira que sou, não devo desistir nunca. Lógico que o sentimento de derrota assombra, por não ter conseguido sucesso na vida pessoal, mas vamos em frente, traçando planos que não deixam de ser apenas trilhas pelas quais desejamos seguir. Não dá pra parar de fazer planos e isso é típico de fim de ano pra início de um novo. Como diz Bial, Saúde e Paz, o resto a gente corre atrás.
Que possamos continuar em 2006. Desejo a todos um Feliz Ano Novo, cheio de muitas realizaçõs, afinal nossos planos e metas se resumem nisso, realizações e positivas.

Nenhum comentário: