terça-feira, junho 07, 2005

MEU DIA

(Senta, que lá vem postão, coisa estranha por aqui)

Quero postar hoje, um texto lindo de Charles Chaplin.
Image hosted by Photobucket.com

Hoje levantei pensando no que tenho a fazer antes que o relógio marque meia-noite. É minha função escolher que tipo de dia terei hoje.

São tantas coisas, e nem sempre tenho a opção de escolher fazê-las ou não, simplesmente tenho que fazer, o que não tornaria opcional meu tipo de dia .Algumas feitas com prazer, outras por pura obrigação.


Posso reclamar que está chovendo ou agradecer as águas por estarem levando a poluição.
Posso ficar triste por não ter dinheiro ou me sentir encorajado por administrar minhas finanças, evitando o desperdício.
Posso reclamar sobre minha saúde ou dar graças por estar vivo. Posso me queixar dos meus pais por não terem me dado o que eu queria, ou posso ser grato por ter nascido.

Nunca reclamar da chuva, afinal, aqui é o que melhora o tempo sempre quente, do sol eu reclamo mesmo, não sei se dá no mesmo, só sei que o sol não precisa aparecer ou brilhar pra se ter um dia bom. Sempre me entristeço por não administrar bem (ou de jeito nenhum) minhas finanças, às vezes sinto que desperdiço-as e não deixo de me entristecer, sempre agradeço a Deus por mais um dia de vida, independente da saúde boa ou não, se bem que uma boa saúde traz uma vida mais agradável.


Posso reclamar por ter que ir trabalhar ou agradecer por ter trabalho.
Posso sentir tédio com o trabalho doméstico ou agradecer a Deus por ter um teto para morar

infelizmente essa me pegou. Reclamo e ao mesmo tempo me culpo por isso, quantos queriam trabalhar e não podem.


Posso lamentar decepções com amigos ou me entusiasmar com a possibilidade de fazer novas amizades.
Se as coisa não sairem como planejei, posso ficar feliz por ter hoje para recomeçar. O dia está na minha frente, esperando para ser o que eu quiser. E aqui estou eu, o escultor que pode dar a forma. Tudo depende de mim.

Mas uma vez, eu discordo, nem sempre tudo depende de mim,o que depende, faço, há coisas que não se pode fazer só, as decepções são inevitáveis, mas acredito que é a partir delas que se adquire experiência e maturidade. Esculpir um belo dia é desejo de todo escultor da vida, mas às vezes, as mãos moldam sem querer uma forma diferente e a gente acaba deixando, porque deseja caminhar de outra forma, ou passar por outros lugares que os de costume, e se não der certo, a gente usa esses desvios pra aprender coisas novas. Tudo depende de mim. Será realmente? Tenho a impressão que as pessoas confundem os realistas com os pessimistas, muitas atitudes, podem ser realistas pra mim, mas pra muitos, pode ser pessimismo. Claro que muita coisa está ao meu alcance, de acontecer ou não, realizar ou não, mas outras, impossível.

Nenhum comentário: